Eu não valo nada mesmo


Quantas são as pessoas que odeiam conjugar verbos. Quem odeia aí levante a mão. \0

Sim, eu também odeio e nesse ponto concordo com qualquer lazarento que durante uma aula minha diz que no inglês é muito mais fácil. Pra esses que só reclamam, trago uma solução. O site Conjuga-me é o pai-dos-burros dos verbos. Basta inserir o verbo no campo apropriado e clicar em CONJUGAR. Lembre-se, no entanto, que, para conjugar o verbo, o infinitivo deve ser introduzido. Exemplo? Ir, trazer, poder, vir, fazer, ser, estar... Clique na imagem abaixo e nunca mais fique na dúvida se o presente do indicativo do verbo valer é valho ou valo. Você pode, ainda, adicionar o Conjuga-me ao seu navegador se não tiver preguiça e rolar a página até o final no site.

conjuga-me P.s.: Será que receberei muitos comentários corrigindo o título do post? Se você pensou besteira durante a leitura deste post é um mau sinal, amigo(a).


12 comentários

Comentário totalmente alienado ao conteúdo do post:

Mas eu gosto de você!

Quem entendeu faz barulhooO!

--
Anderson Moreira.

Reply

Ótima dica! Tenho uma Mestra que sempre repete nas aulas de verbo:
- Meus amores, passei cinco anos só estudando verbo e ainda não sei quase nada.

Claro que há um exagero tremendo, mas verbo é chatinho mesmo.

Reply

Anderson... êêêê... \o \o \o \o \o \o e a galera se anima...kkkkkkk... Acho que não entenderam, amigo. #piadainterna

Reply

Richard, é o que eu disse. Se bem que os que reclamam dos verbos nem imaginam o que seja uma oração subordinada substantiva completiva nominal. Ficariam quietos quando vissem...rs.

Reply

P.S: Só pra avisar, o título do Post tá errado! ;D Z1FAIL

Reply

Excelente Dica Rogério! Linkei!

Reply

É necessário mesmo que dizer que o Valo está errado? E o ponto de vista de cada um? rsssss

Tá bom, tá bom, humor negro eu sei :P

Bauru, seguindo o título, podo ser maluca, mas sabe que gosto mesmo de verbos? Sério!! Uma professora de português que tive, super me ajudou com isto. Ela adorava nos mandar conjugar verbos a aula toda, ríamos muito disto. Cada coisa que era dita. Só Jesus salvava e salva!! :o)
Infelizmente, com a banalização da língua e da escrita, perdi o hábito de conjugá-los corretamente. Lamentável, mas é verdade, fazer o quê?
O “sujeito” de hoje não valoriza o verbo. Triste realidade, não?
A Senhora querida Mestra, esteja onde estiver meus mais sinceros parabéns pela arte de ensinar com amor. Saudade!! Tão raro e tão importante isto.
A vc paizinho querido, grande admirador e defensor dos verbos te amarei eternamente.Meu maior exemplo na arte de ensinar com amor.

Reply

Nunca teve problemas em conjugo verbos. Sério! Sempre foi um cara muito letrado e culto. Conjuga verbos ser muito fácil, hehehehehe

Mas virei este site aí. Talvez eu teve algumas dúvidas sobre conjugue verbos :P

Abraços o/

Reply

Posso fazer um comentario completamente na contra-mão?
Isso não é um contra-senso vindo de um educador? Eu não lembro em que site li, nem quem disse, mas um de vocês blogueiros escreveu mais ou menos assim "aceitar o analfabetismo é a saida dos fracos". Eu concordo e mais, acho que essas ferramentas que facilitam e banalizam o saber deviam ser evitadas e pouco divulgadas, por que ai a molecada que antes fazia pesquisa em enciclopedia agora simplismente nem copia, baixa o trabalho via WEB e nem lê o troço.
Obviamente eu não sou capacitado pra tecer uma tese abalizada sobre o assunto, mas e a sua opinião? Essas facilidades não acabam se tornando "muletas"?

Reply

Professor, Seu post está no Deslinks da Semana [5].

No Antes da HORA: Deslinks da Semana [5]. http://migre.me/9JRF.

Reply

Zé da Fiel, sim, concordo que essas facilidades acabam virando muletas. O processo educacional, no entnato, não se dá apenas de uma forma. Quem está na idade escolar deve ter a consciência de que as ferramentas devem ser usadas conforme o contexto em que se está atuando. Não vejo, por exemplo, problemas em ver meus alunos usando o próprio material numa avaliação. isso porque não é meu único instrumento e mais, se ele não prestou atenção na explicação dada, se não assimilou o conteúdo, o caderno ou livro são dispensáveis. Não adianta ter a ferramenta e não saber como usá-la. Eu, por exemplo, não me constranjo em usar o dicionário quando fico em dúvida quanto à grafia de algo ou o sognificado. prefiro isso a posar de saichão e enrolar meus alunos. Pode parecer um contrasenso, mas o meio é outro, o público é outro e a postagem, portanto, é válida.

Reply

Postar um comentário

Os comentários deste blog são moderados.