Uma carta póstuma em vida


a_morte_ri_para_mimSão 789 palavras, um vídeo, algumas constatações. Não se obrigue a ler apenas porque é “meu amigo”. Faça algo melhor, arrume amizades mais consistentes. Mais que isso, meu desejo é o de que você não caia no mesmo erro que eu!

Há tempos tenho sido alertado pelas pessoas a minha volta de que morrerei cedo. Minha tia não se cansava de afirmar que eu dormia pouco. Sempre menti pra mim mesmo dizendo que não estava com sono quando, na verdade, queria era sustentar meu vício de ficar até altas horas vendo tv e acessando a  internet. Hoje, aos 34 anos tenho colhido os frutos de anos fazendo a mesma coisa. Creio que tudo começou ainda em 2002, ano em que ingressei na universidade. Dali pra cá só piorei no aspecto “sono regular”. Houve uma época em que eu ficava sim acordado até tarde, mas era apenas quando havia lutas do Myke Tyson nas madrugadas da Globo ou quando acontecia o Grande Prêmio de Fórmula 1 no Japão.

Vendo em meu e-mail os feeds que assino, mais uma vez fui confrontado com essa realidade. Reproduzo abaixo partes do post publicado pelo Pátio Gospel que foi “inspirado” numa reportagem da Veja.

“Dormir menos de seis horas por noite pode ser um veneno. Pesquisadores italianos dizem ter encontrado "evidências inequívocas" da ligação entre a privação do sono e a morte prematura. Para a pesquisa, foram analisados 16 estudos envolvendo cerca de 1,5 milhão de pessoas.De acordo com o levantamento, coordenado pela Universidade de Warwick e pela Universidade de Medicina Federico II, quem dorme menos de seis horas por noite tem 12% mais chance de morrer antes dos 65 anos do que aqueles que dormem entre seis e oito horas. Estudos anteriores já mostravam que a privação do sono estava associada a doenças cardíacas, pressão alta, obesidade, diabetes tipo 2 e colesterol alto.”

Reconheço que tenho colhido problemas de saúde, emocionais, psicológicos por causa dos meus vícios e sei da necessidade de mudança. Engordei, passei a ter taquicardia, problemas de pressão e tenho sido perturbado psicologicamente. Isso ficou mais evidente quando em recente viagem, chorava compulsivamente ouvindo a letra de uma canção. Na verdade, chorei ouvindo o cd inteiro do cantor e compositor Stênio Marcius, o qual conheci em sua recente visita à igreja em que vou regularmente.

 

Puxa uma cadeira, minh'alma, que eu quero te perguntar
Porque me roubas a calma, me botas tristeza no olhar?
Vamos entrar num acordo, vida tranquila viver
Lembra daquilo que o Mestre falou:
"A minha Graça te basta!"

Dentre as resoluções que tenho tomado inconscientemente, uma é não escrever mais posts muito subjetivos. Escrever cansa, escrever para confrontar opiniões cansa mais ainda. Já “perdi” noites de sono pensando em coisas que lia em blogs de amigos. Melindrado que sou, muitas vezes ficava imaginando se era algum tipo de indireta e hoje vim a perceber que não, não estava enganado na maioria das vezes. Há muito decidi me afastar de algumas redes sociais também. Ultimamente vinha entrando no Twitter, por exemplo, apenas nas altas madrugadas (olha o problema aí de novo) ou então antes de ir para a escola de manhã, pois assim me obrigava a ficar pouco. Facebook, deixei de lado, Dihitt… nem me lembro quando foi a última vez que fui até lá. Até mesmo este blog, meu xodó por tanto tempo, companheiro de tantas noites, tem sido deixado de lado. O único que vai andando bem é o Análise de textos e ainda assim porque há duas colaboradoras por lá. Tenho postado mais que regularmente também porque passei a não me obrigar a escrever posts sempre originais. Passei a auxiliar as pessoas que farão concursos por meio de exercícios de interpretação, tão necessários a todos que desejam escrever e ler melhor. Há uma grande vantagem em deixar de escrever por lá também da forma como faço aqui. Lá, se porventura eu vier a faltar (belo eufemismo), as duas professoras que são editoras também podem manter o mesmo nível de postagens.

Nessa semana volto ao cardiologista e sei bem o que ele me dirá. Estou preparado eu diria. Nessa semana a rotina fatigante das aulas continuará. Nessa semana sei que muito continuará como antes, mas estou decidido a cuidar de minha saúde. Farei isso por mim, mas mais ainda por minha esposa, grávida de dois meses (sim, serei pai novamente) e por minha filha de quatro anos. Quero ter o prazer de vê-las crescendo, quero ter o prazer de ensinar-lhes algo de bom que possa ser usado nas caminhadas futuras… nem que seja pra ensinar o certo mostrando o exemplo errado do pai.

É isso, obrigado por ler até o fim. Pare de levantar hipóteses absurdas ao meu respeito. Muitas de suas hipóteses podem estra certas e não quero que você se decepcione de alguma forma. O blog, ou melhor, os blogs estarão aí para mantermos contato. Continuarei brincando com eles, pois pra mim é diversão… Continuarei acreditando que “Blogar é um ócio muito trabalhoso”.


12 comentários

Prezado Bauru,

Não quero aqui divagar sobre os motivos de sua decisão, afinal qualquer decisão tomada por pessoas que admiramos não deve ser questionada,ele deve acima de tudo ser respeitada.

Muito embora ainda tenhamos a liberdade de discordar, isso deve ser feito na intimidade das conversas, nunca expostas publicamente.

Você, assim como o saudoso Monthiel, foi um dos primeiros amigos virtuais que fiz nessas minhas aventuras com blogs, acredito que essa sinergia deveu-se principalmente ao fato de nós três termos em comum a nossa sinceridade

Como disse não vou discordar nem questionar os seus motivos, meu desejo é que você seja feliz, e se essa sua decisão tem como meta esse objetivo, eu estarei igualmente feliz.

Sempre que precisar bater um papo descontraído, você sabe onde me encontrar.

Deixo pra você umas palavras de Charles Chaplin, que são um verdadeiro ensinamento:

“Hoje levantei cedo pensando no que tenho a fazer antes que o relógio marque meia noite. É minha função escolher que tipo de dia vou ter hoje. Posso reclamar porque está chovendo ou agradecer às águas por lavarem a poluição. Posso ficar triste por não ter dinheiro ou me sentir encorajado para administrar minhas finanças, evitando o desperdício. Posso reclamar sobre minha saúde ou dar graças por estar vivo. Posso me queixar dos meus pais por não terem me dado tudo o que eu queria ou posso ser grato por ter nascido. Posso reclamar por ter que ir trabalhar ou agradecer por ter trabalho. Posso sentir tédio com o trabalho doméstico ou agradecer a Deus. Posso lamentar decepções com amigos ou me entusiasmar com a possibilidade de fazer novas amizades. Se as coisas não saíram como planejei posso ficar feliz por ter hoje para recomeçar. O dia está na minha frente esperando para ser o que eu quiser. E aqui estou eu, o escultor que pode dar forma. Tudo depende só de mim.”
Se não quiser publicar o comentário, guarde-o somente para você.

Reply

Cuide-se! Você ainda é muito jovem! Tente desacelerar um pouco o seu ritmo de vida. Antes de tudo, pense em você e nas pessoas que ama. Um abraço. Fique com Deus.

Reply

Professor, eu sou seu fã!

De resto nem sei o que dizer...

Reply

É isso Rogério! Assim como é péssimo viver na superfície, é complicado chegar ao fundo... temos respirar.
Parabéns pelo rebento e por tudo o que plantou entre amigos que realmente te admiram.
E que venham novos tempos de Graça!!!

Ainda nos leremos!

Reply

Hi, Mestre Bauru...

Cuide-se e saiba que todos nós que acompanhamos seus blogs e seu Twitter, torcemos por você!

[]'s @inaciorolim

Reply

Acho q vou começar a me preocupar tb. Minhas noites de sono têm sido curtas... No fim acaba sendo uma grande perda de tempo na frente do PC esperando Tweets, e-mails e lendo as mesmas besteiras de sempre.
Acho q todos deveríamos repensar nossas rotinas modernas.

Reply
Este comentário foi removido pelo autor.

dica : continue fazendo mais pelos outros e mude de cidade , de preferência bem no interior....a mudança é radical mesmo.Vc volta a viver e seus filhos terá uma infãncia de verdade....de criança

Reply

É professor... temos nossa vida lá fora e gostamos tanto desse "lugar" chamado blogosfera que temos que viver duas vidas para estar presente em ambos os "mundos". Sabemos bem que isso não é possível e mesmo assim fazemos o impossível a ponto de colocar nossa saúde em risco.
Não sei o que te aconteceu, mas faço ideia e se for realmente isso, o melhor que você tem a fazer é dar um tempo e cuidar da sua saúde e passar mais tempo com sua família.
A Blogosfera estará aqui quando você quiser e os amigos de verdade também.
Boa sorte,
Júnior

Reply

Olá Bauru

isso é uma despedida ou um até logo? espero que seja um até logo, não gostaria de pensar: "poxa, agora que conheci ele, ele vai embora"

sei como sente, todo vício consome boa parte de nossa vida quando não temos forças suficientes para controlá-lo, mas as vezes agente se recrimina tanto por fazer algo que tudo que nos acontece parece conspirar contra nós e acabamos culpando esse ou aquele costume.

respeito as tais pesquisas que vc citou, mas não me iludo com elas, outro dia vi que café demais dava alucinações, agora café faz bem pra manter as taxas de açucar no sangue baixa. a cada dia que passa descobrem que uma coisa é boa pra isso e ruim para aquilo. nunca sabemos ao certo o que é ideal fazer.

Cuide da sua saúde, da sua família, mas não se prive de fazer coisas que gosta, procure uma medida certa, uma forma que não te atrapalhe, não se obrigue a nada e faça o que te dá vontade, seja feliz do jeito que puder ser.

Sucesso na sua caminhada, mas deixa agente ir junto ok? rs

Um abraço!

Reply

José, Maria Lúcia, Richard, Jô, Marcos, Inácio, Márcia, Denise, Junior e Ana, obrigado pelos comentários.

Reply

Puxa, cara. Não fazia ideia. Se desacelerar é preciso, faça sem culpas. É bom e necessário, dar um tempo faz bem. Especialmente se cuidar pelas pessoas que você ama.

Se quiser voltar ou precisar simplesmente conversar, está todo mundo aqui esperando.

Fique bem. E cuide-se. ;-)

Reply

Postar um comentário

Os comentários deste blog são moderados.